Uncategorized

Vamos falar sobre as aplicações de encontros

Durante os últimos anos as aplicações de encontros tem crescido e já fazem parte da vida de muitas pessoas. Contudo, sabemos que a procura de “parceiros por correspondência”, não é lago novo e que no passado, era mesmo usual solteiros colocarem anúncios em jornais e fazerem vídeos em WHS, numa tentativa de encontrar aquela tal pessoa. Em 2020 a receita coletiva das aplicações de encontros foi 3.08 mil milhões de dólares, ou seja, um aumento de mais de 22%. Além disso, poucas pessoas sabem, mas o Tinder, o OkCupid e Match.com são todos, propriedade da mesma empresa mãe, ou seja, da Match Group Inc.
Estudos indicam que o típico utilizador do Tinder, gasta em média cerca de 90 minutos por dia na aplicação, e só nos Estados Unidos, um em cada três adultos afirma já ter usado uma aplicação de encontros.
Hoje sabemos também que em média, 12% dos utilizadores destas aplicações, acabam por se casar ou se comprometer com alguém que conheceram através destas apps. Só entre 2002 e 2012, cerca de 34.95% das pessoas casadas dizem-se ter-se conhecido por aplicações de encontros.
Outro facto curioso sobre estas aplicações é que segundo alguns estudos, as mulheres tendem mentir sobre a idade, contudo, cerca de 40% homens inquiridos admitiram mentir sobre as suas carreiras. Os membros da comunidade LGBTQ têm cerca de duas vezes mais probabilidade de dizer que usaram esses tipos de aplicações do que os heterossexuais. Quando o assunto é o famoso swip to right do Tinder, as mulheres apenas deslizam para a direita as pessoas que consideram realmente atraentes, por outro lado, os homens indicam que o fazem despreocupadamente para quase todos os perfis.
Cerca de 60% dos utilizadores dizem que consideram relativamente fácil encontrar alguém interessante neste tipo de app. Os mesmos estudos anteriores indicam também que 57% dos americanos consideram estes sites e aplicações de encontros uma experiência muito positiva, contudo e como já deu para perceber, as mulheres são mais exigentes, e como tal consideram mais difícil do que os homens encontrarem alguém que considerem fisicamente atraentes.
No OkCupid, um relatório mostrou que copiar e colar a mesma mensagem e enviá-la a várias pessoas é 75% tão eficiente na obtenção de respostas quanto escrever mensagens para cada pessoa individualmente. Segundo a pesquisa realizada no OkCupid, as mulheres são mais bem sucedidas se sorriem nas fotografias de perfil, já os homens conseguem uma taxa de sucesso maior se não o fizerem.
Quando o assunto são os abusos, é importante referir que 35% dos utilizadores relatam que receberam mensagens com linguagens ou imagens explicitas indesejadas através destas aplicações. Geralmente esta situação acontece com mulheres entre os 18 e os 34 anos. Na mesma pesquisa com utilizadores americanos, 19% das mulheres jovens relataram que alguém as tinha ameaçado fisicamente em apps de namoro. Por outro lado,56% dos utilizadores LGBTQ relataram ter recebido uma mensagem ou imagem explícita que não pediram, isto é 24% a mais do que utilizadores heterossexuais.